MELE & MODEL

12 de setembro de 2019 // Agenda Infantil

Durante a primeira infância, as crianças passam por um período sensível da formação dos indivíduos, que é essencial para o desenvolvimento de suas habilidades cognitivas, de linguagem, socioemocionais e físicas. Diversos estudos indicam a importância da educação infantil na compensação de desigualdades iniciais entre os indivíduos. Nesse sentido, intervenções nesta faixa etária podem ser mais eficientes do que em idades mais avançadas para corrigir possíveis atrasos na aprendizagem e reduzir desigualdades. Para identificar esta necessidade de intervenção, surge a demanda de de investigar a aprendizagem e o desenvolvimento das crianças em idade pré-escolar evolui ao longo do tempo, e para a garantia de seus direitos, medir a qualidade do ambiente de aprendizagem em que as crianças estão inseridas torna-se central.

Informações da saúde e nutrição são relevantes porém não suficientes. É com base neste contexto que organizações internacionais, lideradas pela UNESCO, criaram o instrumento MELQO (Measuring Early Learning Quality Outcomes), buscando mensurar estas duas dimensões através dos módulos Measure of Early Learning Environments (MELE) e Measure of Development and Early Learning (MODEL), criados a partir de consensos internacionais de parâmetros de qualidade, adaptados ao contexto dos países e sistemas de ensino.

Esquema MELQO 02

Outros instrumentos já existentes que se propõem a mensurar a qualidade da educação infantil geralmente são de uso pago ou não possuem margem para adaptação ao contexto nacional. Nesse sentido, o MELQO se mostra vantajoso, pois é um instrumento que visa ser preciso, útil ao contexto específico e de baixo custo de aplicação. Além disso, integra em uma única ferramenta aspectos de insumos, dos processos adotados e os resultados apresentados pelas crianças que frequentam a pré-escola. Dessa forma, permite associar as práticas utilizadas pelos educadores em sala de aula com os resultados socioemocionais e pré-acadêmicos obtidos pelas crianças, bem como verificar se a presença de materiais em sala de aula possui alguma influência no aprendizado das crianças.

Esquema MELQO

O MODEL, ou Projeto de Medida do Desenvolvimento e Aprendizagem Precoce, em português, cujo foco é a identificação dos resultados obtidos com as experiências no contexto escolar, foi construído pautado em três domínios importantes para a mensuração do desenvolvimento e aprendizagem das crianças desta faixa etária:

1. Função executiva: domínio referente ao processo de gerenciamento de habilidades voltadas ao aspecto cognitivo, desenvolvido através de um conjunto de práticas, incluindo coordenação motora fina. São exemplos de práticas: flexibilidade cognitiva, controle inibitório, memória de trabalho;

2. Desenvolvimento socioemocional: habilidades relacionadas a aspectos da personalidade, cruciais para interações interpessoais, seja elas entre seus pares, com professores ou família, apresentando grande importância no papel de manter o engajamento nas escolas. Podemos destacar aqui a empatia, resiliência emocional, autorregulação e autoconhecimento;

3. Conhecimentos pré-acadêmicos (alfabetização e matemática): domínio que envolve noções iniciais de matemática e alfabetização, como contagem e identificação de letras e sons, fundamentais para o desenvolvimento de habilidades futuras.

A criação do instrumento foi dada pela seleção de construtos, ou indicadores específicos do desenvolvimento e aprendizagem em cada um dos domínios, como por exemplo, memória de trabalho (função executiva), interação entre os pares (desenvolvimento socioemocional) e contagem (conhecimento pré-acadêmico). Esses itens utilizados no instrumento foram criados com base em uma seleção de instrumentos já consolidados.

Com os construtos identificados, foram desenvolvidas três ferramentas para sua mensuração: avaliação direta; relatórios feitos pelos professores; e relatórios feitos pelos pais ou responsáveis. Cada abordagem apresenta vantagens na identificação do desenvolvimento e aprendizagem das crianças. Ao passo que a avaliação direta provê informações relevantes sobre a aprendizagem com base na participação da criança em atividades, com as entrevistas com professores e pais ou responsáveis é possível identificar, por meio do relato, o desenvolvimento socioemocional das crianças.

O MELE, ou Projeto de Medida de Ambientes de Aprendizagem, em português, cujo foco é obter informações sobre os ambientes escolares. Sabe-se que as crianças se desenvolvem através do brincar, da estimulação social, da expressão criativa e do engajamento ativo no processo de aprendizagem e em seus meios. Nesse sentido, o MELE estabelece sete domínios importantes para mensuração da qualidade dos ambientes da educação infantil, quais sejam:

1. Estrutura e organização física: o ambiente físico é seguro, limpo e promove senso de bem-estar aos adultos e crianças;

2. Engajamento da família e comunidade: envolvimento no planejamento, nas decisões e ações;

3. Equipe de professores e funcionários: recebem formações continuadas e a razão criança-professor é apropriada para a faixa etária;

4. Interações diárias: crianças e professores ou funcionários possuem relações emocionais positivas e afetivas;

5. Inclusão: equipe treinada para inclusão de crianças com necessidades especiais;

6. Pedagógico: ensino centrado na criança, encorajando a curiosidade, iniciativa, cooperação, persistência, atenção, participação e engajamento. Além de currículo voltado para o desenvolvimento físico, emocional e cognitivo da criança;

7.Brincar: crianças têm acesso a materiais e oportunidades para brincar durante o dia escolar.

O instrumento MELE foi elaborado com base nestas sete dimensões, enfatizando aspectos relevantes que endereçam qualidade. Ainda que todos os domínios sejam importantes, alguns podem estar mais correlacionados com fatores do desenvolvimento infantil, destacando os aspectos pedagógicos e de interação . Assim, o instrumento é focalizado em quatro elementos principais da configuração escolar (brincar, configuração física, pedagógico e interações), abordando de forma abrangente os aspectos de engajamento da comunidade, inclusão e equipe.

Ao identificar construtos em cada domínio, foram selecionados itens e definidas as escalas de qualidade, traçando três componentes de avaliação: observação direta; entrevista com diretores; e entrevista com professores. O primeiro, tem grande importância na captura de elementos específicos que mensuram experiências de aprendizagem e interações entre professor-criança, através da observação dos diálogos e das práticas pedagógicas que ocorrem dentro do ambiente de aprendizagem. Assim, é possível obter uma amostra das interações que as crianças estão expostas diariamente. O objetivo é identificar se os diferentes tópicos curriculares são abordados em sala, assim como a qualidade dos mesmos, que se traduz na utilização de elementos lúdicos na aprendizagem e no uso do diálogo na relação com as crianças. As entrevistas se configuram como importante ferramenta para identificar possíveis lacunas para implementação de esforços de melhorias. Em 2018, houve um processo de alinhamento da observação direta com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) da Educação Infantil, identificando lacunas e afinidades do instrumento em relação ao documento responsável por guiar as diretrizes curriculares da educação no país. Neste ano, o instrumento foi modificado de forma a buscar a garantia dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento, de modo que será possível identificar se as práticas utilizadas nas salas de educação infantil estão de acordo com os parâmetros do documento.

Em conjunto, os módulos que compõem o MELQO produzem informações relevantes para mensurar a qualidade da educação infantil, por meio da observação dos ambientes e das experiências vivenciadas pelas crianças. O instrumento, portanto, é significativo para formulação de políticas públicas educacionais, uma vez que o Plano Nacional de Educação tem como meta que todas as crianças de 4 e 5 anos estejam matriculadas em pré-escolas e isso somente será, de fato, benéfico para a sociedade e para as crianças que lá estão e estarão matriculadas, ao passo que a universalização do acesso às pré-escolas brasileiras se dê com a oferta de ambientes de aprendizagem de qualidade. Dessa forma, é possível afirmar que para a formação de cidadãos saudáveis e participativos, se faz urgente uma medida factível e útil de qualidade da educação infantil. Ainda, está previsto para este ano uma adaptação da ferramenta para crianças de 2 e 3 anos e, em 2020, uma adaptação para crianças de 0 a 2 anos de idade.

 

REFERÊNCIAS

UNICEF et al. Overview: MELQO: Measuring Early Learning Quality and Outcomes. UNESCO Publishing, 2017.

AUTORES DO TEXTO

Thiago Camargo

thiago neves camargo

Graduando em Economia Empresarial e Controladoria pela FEA-RP / USP.
Priscila Carvalho de Castilho

priscila carvalho de castilho

Mestranda em Psicobiologia e graduada em Psicologia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FFCLRP/USP). Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo.